Noite à dentro


Ele fica acordado noite à dentro pensando nos problemas e resolve que precisa ler mais. Depara-se com textos fabulosos escritos por poetisas anônimas e percebe que assim como na musica, também na literatura prefere as mulheres. Lembra-se dos romances que começou e não terminou e se aflige pensando que deixou algo para trás. Na releitura de suas poesias, se sentindo aos quarenta percebe que não tem tanto talento quanto imaginava. A maior aflição para ele é pensar em ficar sem sexo. Tudo no mudo pode lhe faltar, menos o sexo. Sem esse não se vive. Questiona-se como seria o amor dos poetas e dos velhos. Dentre os medos que tem, a velhice é o que mais lhe assola, acompanhada da solidão e do abandono. Não há nele medo maior do que fracassar na tarefa de ser um grande homem, e sente que até nisso esta sendo medíocre.

Comentários

As mais lidas.

Eu vou contar! - Je raconte à tout le monde!

Um carta de noel.