Não é certo, que por desespero, tentem omitir o meu amor! Não é certo!

Pois bem, sabendo disso, irei às últimas consequências, para em vida, firmar o que de bom grado, acordamos, eu e Deus: Serei sim uma referência de amor incondicional, e farei tudo que estiver ao meu alcance, para enquanto Santo, afirmar isto.

Corra atrás de tuas migalhas, pobre amigo, pois é delas que sacias tua fome. Deixe que me saborei livremente do meu banquete de amor. Se for capaz, tente, por apenas um segundo dizer que não trata da mais fina e verdadeira realidade, este amor e esta relação, que é tão grande, tão próxima, tão afinada, que expõe o quão de fato é regida por Deus.

Sei que minha "Pequena Fé" já tem hoje uma compreensão muito maior do que é de fato a realidade e esta compreensão irá crescer e se afirmar cada vez mais e mais. Acredito que por isso, minha "Pequena Fé" insista tanto em prorrogar o retorno e afirme tanto que prefere a mim, Santo, que a tu, desonra, desatenção, egoísmo e mentira.

Lamento, pobre amigo, mas só sobraram as migalhas para ti. Podes levar uma vida miserável, se alimentando delas, e pagando a conta, hora tão cara, de tentar desmerecer este imenso amor. Agora, pobre amigo, uma nobre sugestão: Não afirmes em vão o que tu não és capaz de fazer, pois serás levado a engolir, cada uma destas tuas palavras vis.

E não te esqueças, do meu nobre conselho. Tenhas cuidado com minha "Pequena Fé". Ela é pequena e dócil, e muito, muito sutil. Mas pode se tornar ira, se apenas uma vez, ela desacreditar de ti. Não queiras provar o preço do pecado, e o castigo dos Santos.

Eu, no que me cabe dizer, fico apenas com as palavras doces e a certeza de que a vida ainda me trará muitos e muitos presentes. Diria oferendas, provenientes desta minha santidade, que, enquanto santo, não é passível de descrença.

Vai, minha "Pequena Fé", encontra o teu caminho, uma vez que, já conheces a estrada. Trilha por este tortuoso tormento de egoísmo, desafeto e desonra. Mas leva consigo uma certeza: a estrada existe, e há sim, um caminho de verdade, ética e moral. Este caminho é teu e estará sempre aberto e disponível, coberto por tijolos de ouro. Basta uma pequena intenção tua. Basta ser sincero e desejar profundo, que não haverá Santo que não faça tuas preces acontecerem.

Agora, sê paciente, tenha sempre muita fé, minha pequena, que acharás com segurança o caminho de volta. Quanto a mim, só posso te prometer uma coisa: Será mais breve do que imaginas.

Comentários

As mais lidas.

Eu vou contar! - Je raconte à tout le monde!

Um carta de noel.